Diogo Cassels


Em 1880 Cassels e a sua congregação aderem à recém-organizada Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica. Por esses anos Diogo Cassels assume quase na íntegra os custos da construção de outra capela e respectiva escola, a do “Redentor”, na Rua Visconde de Bóbeda (Porto), inaugurada e dedicada ao culto em 1883. Instituído Diácono e ordenado Presbítero (1892) na Igreja Lusitana, continua a ocupar toda a sua vida e recursos à pregação da Palavra de Deus, à educação e assistência aos mais carenciados, aspectos que entendia complementares no testemunho cristão e espírito de missão que o orientavam. Em 1894 faz construir um novo templo para a sua igreja do Torne, que dedicou a “S. João Evangelista”, libertando espaços para uma actividade educativa em franca expansão. Em 1901 inaugurou ainda no Arco do Prado (Gaia) outra Escola e Igreja, igualmente construídas a expensas próprias e de donativos que angariava.

Além do ministério na igreja que fundou e serviu, do trabalho educativo e social, Diogo Cassels dirigiu durante 32 anos, até à sua morte, o jornal Igreja Lusitana, para divulgação das actividades da igreja e escola do Torne, promovendo e formação e edificação cristã de crentes e não crentes. Em 1906 compilou em livro a Reforma em Portugal, onde dá conta dos esforços pioneiros para a renovação da mentalidade religiosa e para a dupla e inseparável tarefa da evangelização/alfabetização das populações.

Diogo Cassels foi condecorado como Benemérito da Instrução (1908), recebeu a Comenda da Ordem de Cristo (1922) e viu o seu nome ser atribuído à Rua do Torne (1910), tendo-lhe posteriormente sido erigido um busto no Jardim do Morro (1938).